sábado, 31 de julho de 2010

Continue Trabalhando...

Se você é pobre, trabalhe.
Se é rico, trabalhe.
Se está sob peso de responsabilidades
aparentemente injustas, trabalhe.

Se você é feliz, continue a trabalhar.
A preguiça da lugar a dúvidas e receios.
Se a tristeza o esmaga e as pessoas amadas
não parecem sinceras, trabalhe.
Se tiver decepções, trabalhe.

Se a fé titubeia e a razão falha, trabalhe.
Quando os sonhos estão desfeitos e as
esperanças parecem mortas, trabalhe.
Trabalhe como se sua vida estivesse em perigo.
- O perigo existe mesmo...

Seja qual for teu problema , trabalhe.
Trabalhe fielmente e trabalhe com fé.
O trabalho é o maior remédio material e
espiritual que existe.
O trabalho cura, tanto os sofrimentos mentais
como os físicos.

Autor: William Wallace Rose

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Curso de Formação Técnico-Política


A Câmara de Vereadores em comemoração a "Semana do Parlamento Santiaguense" será sede nos dias 05 e 06 de agosto do Curso de Formação Técnico-Política para as Câmaras de Vereadores, Prefeituras e Servidores Municipais, em parceria com a Escola do Legislativo Deputado Romildo Bolzan, Assembleia Legislativa do Estado, Tribunal de Contas, Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Escola Superior de Gestão e Controle Francisco Jurema e ASCAM/RS.
No programa estão palestras sobre o histórico do Poder Legislativo Municipal, finanças municipais, orçamento e Lei de Responsabilidade Fiscal, função legislativa, as relações entre Executivo e Ministério Público e com o Tribunal de Contas. Também são abordadas as competências do vereador, as regras da atuação parlamentar, o processo legislativo, a técnica legislativa e a consolidação de normas, a lei de licitações, além das gestões de eventos e de atendimento no serviço público.
O curso visa a qualificação do serviço público e a otimização da administração, além de aperfeiçoar o processo legislativo municipal e incentivar ações parlamentares que promovam o desenvolvimento regional. Já aconteceram as edições de Pelotas, Porto Alegre, São Borja e Caxias do Sul.
A “Semana do Parlamento” tem por objetivo a valorização e a divulgação institucional do Parlamento e do estreitamento de suas relações com a comunidade. Neste ano, visando a qualificação do serviço público e o desenvolvimento regional, objetivamos reunir vereadores e servidores de Câmaras Municipais que formam o Vale do Jaguari, dentro de um programa de formação e aperfeiçoamento, durante dois dias.
O curso será gratuito, a programação e o material dos painéis será disponibilizado no site da Assembleia Legislativa do Estado, http://www.al.rs.gov.br/, no link Escola do Legislativo e no site da Câmara de Vereadores de Santiago http://www.camaradesantiago.rs.gov.br dentro de alguns dias. Mais informações pelo fone (55) 3251-2999 (ramal 34), com Natássia Prestes - Assessora de Imprensa.

Fonte: Site da Câmara de Vereadores de Santiago


O SINDSERV, não poderia deixar de participar de tão importante evento, se fará representar pelos seguintes dirigentes sindicais:

MARISA DE FÁTIMA OURIQUE LOPES, ENIO JORGE DOS SANTOS MORAIS, LEILA BEATRIZ GONÇALVES LOPES e ELISETE HEYDET CATTELAN.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Frase do dia

Determinação coragem e auto confiança são fatores decisivos para o sucesso.
Se estamos possuidos por uma inabalável determinação conseguiremos superá-los.
Independentemente das circustancias, devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho.

Dalai Lama

terça-feira, 27 de julho de 2010

PALESTRA - IDEIAS NA MESA - CENTRO EMPRESARIAL SANTIAGO


(Fotos: Jones Diniz)

Hoje participamos de uma brilhante palestra no Centro Empresarial de Santiago onde palestraram a Delegada responsável pela DP Santiago Carla Castro de Almeida e o Escrivão de Polícia Bruno Pinto Dorneles, tal palestra foi dentro do Projeto Idéias na Mesa, onde foi proferida regras para não se tornar Vítima da Violência Urbana.

Em um dos slides estava a seguinte frase:

Valorize a Vida!
Agir com prevenção é dever de todos.
Agir com repressão é o dever da polícia.

Fica o alerta que nós cidadãos devemos nos prevenir da melhor forma possível e jamais reagir.

“Precisamos que a segurança seja forte e eficiente de forma a dar condições para que as pessoas possam desenvolver seus empreendimentos econômicos.”
Balestrini.

Após a palestra foi servido um excelente bife a cargo de Dona Cândida.

27 de julho - DIA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO TRABALHO

No dia 27 de julho de 1972, o Ministro do Trabalho Júlio Barata regularizou o artigo 164 da CLT, e publicou a Portaria 3.236, referente à formação técnica em Segurança e Medicina do Trabalho e a Portaria 3.237, regulamentando o artigo 164 da CLT, obrigando a existência de Serviço Especializado em Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) nas empresas com mais de 100 funcionários. Nosso país tornava-se, então, o primeiro a ter um serviço obrigatório de segurança e medicina do trabalho.

Um dos principais motivos da regularização desse artigo foi a imagem negativa que o quadro de acidentes de trabalho no Brasil causava perante o cenário mundial: quase 40% da força de trabalho sofria lesões. Diante do índice alarmante havia grande pressão, inclusive do Banco Mundial, de retirar qualquer empréstimo ao país se esse quadro permanecesse.

Quando se fala em globalização, competitividade e abertura de mercado, o índice de acidentes de trabalho constitui indicador de qualidade, o que torna indispensável a presença dos profissionais de segurança e medicina do trabalho dentro das empresas.

Cuidar da segurança, da saúde e da vida dos trabalhadores, através de técnicas e de um processo educativo, sempre será o principal objetivo desses profissionais. Além de representar bem-estar para os funcionários, a medida também serve de alento para as empresas: treinamento e infra-estrutura de segurança exigem investimentos, mas por outro lado evitam gastos com processos, indenizações e tratamentos de saúde em casos que poderiam ter sido evitados.

O que é acidente de trabalho?

Acidente do trabalho é aquele que ocorre durante o serviço, ou no trajeto entre a residência e o local de trabalho, provocando lesão corporal ou perturbação funcional e pode resultar em morte, perda ou redução da capacidade para o trabalho. Seja em caráter permanente ou temporário, o acidente de trabalho inclui também as doenças ocupacionais.

As causas de um acidente podem ser naturais ou por falta de medidas de proteção. Neste último caso, o empregador pode ser punido com três meses a um ano de detenção, segundo o artigo 132 do Código Penal Brasileiro. Mas o grau de responsabilidade do empregador é relativo; portanto, a punição depende da situação e do tipo de acidente.

Nas últimas décadas, os acidentes de trabalho diminuíram muito graças às iniciativas preventivas, sobretudo depois da criação das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPAs). Cada CIPA é composta por representantes dos trabalhadores e empregadores, que se preocupam em vistoriar situações de risco com máquinas, produtos químicos, bactérias, movimentação ou trabalho em grandes alturas, atividades realizadas no fundo do mar, em indústrias, em hospitais ou em escritórios. As CIPAs informam os trabalhadores e empregadores mediante seus jornais e boletins, reuniões de classe e jornadas de treinamento, conscientizando-os sobre os riscos e os cuidados relacionados com cada atividade, fazendo-os participar nas medidas de promoção da saúde e prevenção de acidentes, fato que resulta não só em proteção como também em melhoria das condições de trabalho.

A legislação brasileira é ampla na questão de acidentes de trabalho. É importante, pois, que o trabalhador conheça bem as leis, para fazer valer os seus direitos. Cabe a ele verificar se a sua empresa as cumpre corretamente e se mantém equipamentos de proteção coletiva, visando à proteção da saúde e da integridade da de todos.

A legislação traz benefícios não só para os funcionários, como também para os patrões, visto que, ao ser respeitadas, há aumento da produtividade, menos desperdício, mais segurança, tranqüilidade e melhor convívio entre os trabalhadores.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Ideias na Mesa

Amanhã dia 27/07 a partir das onze e meia da manhã estaremos participando no Centro Empresarial de Santiago do projeto Ideias na Mesa, onde irão palestrar o Delegado Regional de Polícia Marcelo Arigony e a Delegada responsável pela DP Santiago Carla Castro de Almeida, abordando o tema “Prevenção à Violência Urbana”, com o objetivo de repassar aos empresários, lojistas e associados, regras de segurança que poderão evitar eventual investida criminosa.
O PASEP - Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público foi criado pela Lei Complementar Federal 8, de 03/12/70 e tem o objetivo de propiciar aos funcionários e servidores públicos civis e militares participação na receita dos órgãos e entidades integrantes da administração pública direta e indireta, nos âmbitos federal, estadual e municipal e das fundações.

O PASEP é constituído de contribuições da União, dos Estados, dos Municípios, do Distrito Federal, dos Territórios, das Autarquias, das empresas públicas, das sociedades de economia mista e das fundações. Essas contribuições, com correção monetária, juros e rendimentos obtidos de sua aplicação, eram distribuídos a todos os funcionários e servidores civis e militares, proporcionalmente ao vencimento, remuneração ou salário ao tempo de serviço (L.C. Federal 8/70 - Arts. 1º a 4º; L.C. Federal 26/75 - Art.3º).

Com o objetivo de equiparar os benefícios concedidos aos empregados das empresas privadas aos dos funcionários/servidores públicos, a Lei Complementar Federal 26/75 unificou os fundos constituídos com os recursos do PIS e do PASEP, dando origem ao Fundo de Participação PIS/PASEP.

Exercício Financeiro
O exercício financeiro do Fundo de Participação PIS - PASEP, corresponde ao período de 1º de julho de cada ano a 30 de junho do ano subseqüente.

Distribuição dos Recursos Arrecadados

O mecanismo do PIS e do PASEP consistia em distribuir ao final de cada exercício, entre os servidores das entidades vinculadas aos Programas, as contribuições arrecadadas.

Todavia, de acordo com o artigo 239 da Constituição da República, promulgada em 05/10/88, a arrecadação decorrente das contribuições para o PIS e o PASEP passou a custear o Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT (Seguro Desemprego) Programa do Seguro Desemprego e o Abono Salarial Anual. Assim, a partir de 1989 deixou de existir o crédito da distribuição de recursos nas contas dos participantes.

Cadastramento

A finalidade do cadastramento é possibilitar que funcionários/servidores usufruam do direito ao recebimento do abono anual. (L.F. 7.998/90 - Art. 9º).
Os rendimentos do PASEP podem ser retirados anualmente, após o segundo ano de cadastramento, nas datas fixadas e divulgadas pelo Banco do Brasil. Os rendimentos não retirados são incorporados ao saldo da conta do funcionário/servidor.

Nessas mesmas datas é facultado ao participante o saque do abono, que corresponde a 1 salário mínimo vigente à época do saque. São condições para a retirada do abono:

- estar cadastrado há pelo menos 5 anos;
- ter percebido, no ano imediatamente anterior, retribuição média mensal igual ou inferior a 2 (dois) salários-mínimos vigentes durante o ano - base.

O abono equivale à retirada dos rendimentos e mais uma parcela complementar que permita atingir valor igual ao do respectivo salário mínimo.




Pagamento do PASEP

O PASEP será creditado na folha de pagamento do mês de julho/2010, para a maioria dos servidores, os servidores que tem conta no Banco do Brasil deverão se dirigir ao referido banco, pois o valor a ser recebido do PASEP entrará automaticamente na conta. E os funcionários que não receberem o pagamento na folha do mês de julho e não for depositado na conta do Banco do Brasil, deverão ir até a agência do referido banco com a documentação necessária para solucionar o problema.

domingo, 25 de julho de 2010

Quem me dera...

Quem me dera
Ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos
E vimos um mundo doente.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Acreditar por um instante
Em tudo que existe
E acreditar
Que o mundo é perfeito
Que todas as pessoas
São felizes...

Legião Urbana

Momento Cidadania

A Morte Devagar

Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.
Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.
Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.
Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.
Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.
Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe. Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.

Martha Medeiros

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Hoje dia 21/07, às 9h participamos de uma reunião em nossa sede com Iolanda Pavanelo Representante da AGIP (Associação Gaúcha de Instituições de Previdência Pública) - Vale do Jaguari e com o Gestor do FAPS Cláudio Bitencourt, onde Iolanda nos enfatizou da importância do Sindicato ser parceiro juntamente com os representantes do FAPS do Vale do Jaguari, e nos propôs sediar um seminário em parceria com eles, tal seminário voltado mais aos Conselheiros do FAPS e Servidores do setor de Contabilidade da Prefeitura assim como a Diretoria do Sindicato. O seminário terá como tema principal “Contabilidade no RPPS (Regime Próprio de Previdência Social)”. Iolanda ressaltou a importância de tais parcerias pelo fato dos funcionários não precisarem se deslocar até Porto Alegre para realizar cursos ou seminários sobre o referido assunto.

terça-feira, 20 de julho de 2010



20 de julho, dia Internacional da Amizade

Amizade = sentimento de amigo, afeto que liga as pessoas, reciprocidade de afeto, benevolência, amor (Moderno Dicionário da Língua Portuguesa, Michaelis, 1ª edição, 1998, Cia. Melhoramentos de São Paulo, página 132).

Amizade = sentimento fiel de afeição, simpatia, estima ou ternura entre pessoas que geralmente não são ligadas por laços de família ou por atração sexual; entendimento, concordância, fraternidade; benevolência, bondade (Novo Dicionário da Língua Portuguesa, Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, 2ª edição, 1986, Editora Nova Fronteira, página 106).

20 de julho é a data consagrada ao amigo. Depois de muita reflexão, associada ao decurso do tempo e, principalmente, às experiências vivenciadas, concluímos de repente, não mais que de repente, que a sabedoria popular, que é construída ao longo dos anos e fruto de agudíssima observação do dia-a-dia, está absolutamente correta: quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro! E que tesouro!

Referimo-nos, é claro, ao verdadeiro, afetuoso, benevolente, simpático, estimado, terno, fraterno, fiel e bondoso amigo, tal como se referem os dicionários aqui indicados a respeito da amizade, esta preciosa conquista que só se consolida com respeito e com fraterno amor, sempre.
Com efeito, só o veraz amigo é capaz de aceitar, com discernimento e compreensão e continuando a nos querer bem, os nossos defeitos e falhas, que são inúmeros e que nós mesmos só enxergamos em parte, quando conseguimos ter isenção suficiente e humildade bastante para perceber e admitir os nossos erros, males e equívocos.
Só ele, o autêntico amigo, é capaz de discordar de nossa opinião e de nossa orientação, com absoluta sinceridade, se entendê-las equivocadas, apontando outros rumos e apresentando novos argumentos, com o objetivo exclusivo de ser útil e de nos auxiliar, verdadeira, fraternal e bondosamente.
É ele, por igual, quem fica feliz quando alcançamos o bem-estar material, com trabalho, disciplina e esforço, e que será estendido à nossa família, assim como é ele quem vibra alegremente com o nosso progresso intelectual e, sobretudo, moral.
Por essas rapidíssimas observações, vê-se, assim, que poucos são os amigos verdadeiros, com os quais podemos contar nos momentos de dificuldade de variada ordem, de ansiedade, de angústia, de medo, de dor e de aflição.
Isto, porém, faz parte do processo evolutivo, a que todos estamos sujeitos, uma vez que o progresso é uma lei natural, que, como toda lei natural, é perfeita e por isso mesmo imutável.
O progresso do ser humano na escala evolutiva é lento e gradual, até porque depende, quando menos, de seu livre-arbítrio, máxime quando vive na Terra, um planeta de provas e expiações, de categoria inferior no Universo, em que não se pode esperar perfeição, conquanto todos os esforços devam ser direcionados para a busca permanente da perfeição relativa e da felicidade suprema, destino final dos seres humanos, através do auto-aperfeiçoamento, diminuindo e de preferência eliminando o orgulho e o egoísmo, as duas maiores chagas da humanidade, que insistem em nos acompanhar e prevalecer em nossas atitudes e decisões.
Essa, talvez, a razão principal de serem tão raros os amigos verdadeiros.

Por fim, o homem pode contar com o seu Espírito protetor, o seu anjo da guarda, pertencente a uma ordem elevada, cuja missão é a mesma de um pai em relação aos filhos, procurando guiar o seu protegido pela senda do bem, auxiliá-lo com seus conselhos, consolá-lo nas suas aflições e levantar-lhe o ânimo nas provas da vida, vibrando quando haja acerto e lastimando quando haja erro nas decisões, que obrigatoriamente têm que ser tomadas pelo protegido, em razão de seu livre-arbítrio, com o que passa a ser por elas responsável, e naturalmente responsável pelas suas conseqüências. Não poderia ser de outra forma, uma vez que o anjo guardião não pode e não deve fazer a parte que compete ao homem.

Assim sendo, não fica difícil concluir que, ao contrário do que alguns pensam, nenhum ser humano está só!

domingo, 18 de julho de 2010

FELICIDADE REALISTA

A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar É importante pensar-se ao extremo, buscar lá d entro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

Mario Quintana


Falecimento

Faleceu a mãe do Prefeito de Santiago, Julio Ruivo, senhora Delci Vieiro Ruivo. A Diretoria do SINDSERV externa sinceros sentimentos ao nosso Prefeito sabemos que palavras nesse momento não teriam sentido pela perda irreparável de sua mãe, por isso deixamos esta passagem bíblica para que o conforte neste momento.

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida.
Aquele que crê em mim ainda que morto viva.
E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá....
João 11:25-26

sábado, 17 de julho de 2010

Assédio Moral, escárnio à dignidade humana

Por Licio Antonio Malheiros

Uma das formas mais horrendas e aviltantes de agressão, praticada contra o ser humano, sem dúvida alguma é o Assédio Moral. Principalmente quando praticado de forma velada, não oferecendo ao agredido, oportunidade de defesa ou contestação, predominando neste caso o chamado nexo-casual.
A contextualização do Assédio moral ou violência, como comumente é conhecida, vem acontecendo com maior frequência em locais de trabalho. Este fenômeno não é novo, pode-se dizer que é tão antigo quanto o próprio trabalho, porém nos dias atuais a exacerbação deste ato insano e vergonhoso, vem ganhando proporções astronômicas.
Infelizmente esta prática tem sido uma constante, principalmente no mundo globalizado, que exige uma velocidade maior nos meios de produção. Com o desenvolvimento do capitalismo, as empresas passaram a investir mais em tecnologia de ponta, aliada a produção em grande escala.
Obviamente nem todas as pessoas conseguem executar trabalhos, com tamanha rapidez e qualidade, nesse momento, acontecem os casos mais comuns de Assédio moral, praticado principalmente por superiores, através da humilhação e algumas vezes a exposição ao ridículo, perante colegas, tornando desta forma mais aviltante ainda através da intimidação.
Como este ato imoral, é praticado principalmente contra pessoas humildes, as mesmas, com medo de perder seu trabalho, acabam, na maioria das vezes se calando e aceitando tal situação, como se fosse a coisa mais natural do mundo.
Esse tipo de violência pode causar no subordinado assediado problemas de saúde física e psíquica, a sutilidade na forma de agredir a pessoa é a mais variada possível. Porém na maioria das vezes acontece sutilmente, como exemplo: brincadeiras que desvalorizem e ridicularizem o profissional, ou comentários que colocam em xeque a capacidade profissional do subordinado. Comumente as mais perceptíveis são, agressões verbais, ameaça constante de demissão ou desvio de função, para o qual o funcionário foi contratado etc.
A forma mais nefasta e deprimente de Assédio moral, é aquele usado por superiores “os chefes”, quando estes mudam seu foco. Não contente, em apenas humilhar a pessoa, o agressor muda a vertente principal, e passa para Assédio Sexual. Este tipo de Assédio, é praticado em maior escala contra mulheres, as mesmas, por medo, muitas vezes acabam cedendo, se sujeitando a este ato insano e deprimente, sob todos os aspectos. Nesse momento a agredida, passa a ter todos seus direitos constitucionais vilipendiados, por um monstro travestido de “chefe”.
Não tenho vergonha em dizer, fui vitima de Assedio moral, praticado por um chefe há muito tempo atrás, no meu primeiro trabalho. Só não irei declinar o nome do mesmo, por questão de ética, e por ter acontecido há muito tempo atrás.
Aconteceu em uma Estatal, naquela época o superior o “chefe” era temido e visto como o dono da verdade e que Sá do mundo, portanto ninguém podia discordar de suas idéias e tarefas, por mais absurdas que fossem. Como eu era um tanto crítico, não aceitei as exposições e as tarefas esdrúxulas exigidas pelo mesmo, ai tem-se início o embate.
O “chefe” por sua vez, acredito ter sido aluno de Adolf Hitler ou coisa que o valha, quando ele chamava a sua mesa uma das nossas colegas, algumas chegavam a chorar, eram cenas horríveis, que nos deixava estarrecidos e perplexos, com tamanha desumanidade praticada por esse pseudo “chefe”.
Porém com os homens, ele abrandava um pouco, ainda assim era algo que chegava a dar náuseas, de tanta raiva que eu ficava diante das atitudes mesquinhas e infundadas desse senhor. Resumo da ópera, naquela época, era mais difícil reclamar principalmente de um “chefe”, tal ação redundaria em demissão. Mesmo assim, um belo dia esse senhor amanheceu de pá virado, me chamou a sua mesa e começou a dizer verdadeiros impropérios, não aguentei o chamei pra brigada, a sala toda ouviu, a partir daí ele passou a me respeitar.
Obviamente a minha atitude não foi correta, porém naquele momento não agüentei. Agora nos dias atuais, a abertura e a explicitação na mídia dos nossos direitos permitem que todas as pessoas, possam fazer valer seus direitos constitucionais, não se calando. Portanto, a denúncia ainda é o melhor caminho para evitar que fatos lastimáveis e imorais como estes voltem a acontecer. Denunciem sempre que se sentirem ofendidos ameaçados agredidos, em seus direitos, só assim iremos extirpar de vez esse câncer chamado Assédio.
Pare o mundo, quero descer.

*Licio Antonio Malheiros é Professor, Geógrafo e Pós-Graduado em Didática do Ensino Superior.

quinta-feira, 15 de julho de 2010


Bullying é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully - «tiranete» ou «valentão») ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz (es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma.

Hoje muito se fala em bullying – comportamento agressivo apresentado por grupos de alunos contra um ou mais colegas em situação de desigualdade. Esse tipo de situação se tornou alvo de um amplo trabalho realizado por vários profissionais tais como Professores, Psicólogos, foram criados alguns Projetos de Lei como do Vereador de Porto Alegre Mauro Zacher proponente do projeto que cria na rede escolar da Capital a política antibullying, no inicio deste ano o mesmo palestrou em Santiago para algumas escolas da rede municipal.

Esse tipo de comportamento ocorre mundialmente. Há casos tão graves que resultam até em suicídio por parte do aluno alvo ou em reação violenta, como já ocorreu nos EUA, onde alunos invadiram a escola atirando a esmo, como forma de resposta às humilhações.

O motivo do bullying é variado: um comportamento introspectivo, obesidade, um nome curioso, orelhas de abano, cabelos crespos, a cor da pele,...

Por isso achamos de extrema necessidade comentar sobre o referido assunto, fica um alerta porque muitos adultos se tornam violentos, cruéis, como mostram diariamente os jornais, tele jornais... matam sem piedade talvez um dos motivos seja esse foram humilhados ainda na infância.

O bullying não ocorre somente na escola, mas também no setor público no ambiente de trabalho.

Caracterização do bullying

No uso coloquial entre falantes de língua inglesa, bullying é frequentemente usado para descrever uma forma de assédio interpretado por alguém que está, de alguma forma, em condições de exercer o seu poder sobre alguém ou sobre um grupo mais fraco. O cientista sueco - que trabalhou por muito tempo em Bergen (Noruega) - Dan Olweus define bullying em três termos essenciais:

1. o comportamento é agressivo e negativo;
2. o comportamento é executado repetidamente;
3. o comportamento ocorre num relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

O bullying divide-se em duas categorias:

1. bullying direto;
2. bullying indireto, também conhecido como agressão social
O bullying direto é a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos. A agressão social ou bullying indireto é a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianças pequenas, e é caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social. Este isolamento é obtido através de uma vasta variedade de técnicas, que incluem:
• espalhar comentários;
• recusa em se socializar com a vítima
• intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vítima
• criticar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vítima, religião, incapacidades etc).
O bullying pode ocorrer em situações envolvendo a escola ou faculdade/universidade, o local de trabalho, os vizinhos e até mesmo países. Qualquer que seja a situação, a estrutura de poder é tipicamente evidente entre o agressor (bully) e a vítima. Para aqueles fora do relacionamento, parece que o poder do agressor depende somente da percepção da vítima, que parece estar a mais intimidada para oferecer alguma resistência. Todavia, a vítima geralmente tem motivos para temer o agressor, devido às ameaças ou concretizações de violência física/sexual, ou perda dos meios de subsistência.

A legislação jurídica do estado de São Paulo define bullying como atitudes de violência física ou psicológica, que ocorrem sem motivação evidente praticadas contra pessoas com o objetivo de intimidá-las ou agredí-las, causando dor e angústia. Os atos de bullying configuram atos ilícitos, não porque não estão autorizados pelo nosso ordenamento jurídico, mas por desrespeitarem princípios constitucionais (ex: dignidade da pessoa humana) e o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. A responsabilidade pela prática de atos de bullying pode se enquadrar também no Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista que as escolas prestam serviço aos consumidores e são responsáveis por atos de bullying que ocorram nesse contexto.

Características dos bullies

Pesquisas indicam que adolescentes agressores têm personalidades autoritárias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. Também tem sido sugerido que um deficiente em habilidades sociais e um ponto de vista preconceituoso sobre subordinados podem ser fatores de risco em particular. Estudos adicionais têm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prática do bullying, ao contrário da crença popular, há pouca evidência que sugira que os bullies sofram de qualquer déficit de auto-estima. Outros pesquisadores também identificaram a rapidez em se enraivecer e usar a força, em acréscimo a comportamentos agressivos, o ato de encarar as ações de outros como hostis, a preocupação com a auto-imagem e o empenho em ações obsessivas ou rígidas. É freqüentemente sugerido que os comportamentos agressivos têm sua origem na infância:
"Se o comportamento agressivo não é desafiado na infância, há o risco de que ele se torne habitual. Realmente, há evidência documental que indica que a prática do bullying durante a infância põe a criança em risco de comportamento criminoso e violência doméstica na idade adulta."
O bullying não envolve necessariamente criminalidade ou violência. Por exemplo, o bullying frequentemente funciona através de abuso psicológico ou verbal.

Tipos de bullying

Os bullies usam principalmente uma combinação de intimidação e humilhação para atormentar os outros. Abaixo, alguns exemplos das técnicas de bullying:
• Insultar a vítima; acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada.
• Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade.
• Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc., danificando-os.
• Espalhar rumores negativos sobre a vítima.
• Depreciar a vítima sem qualquer motivo.
• Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando a vítima para seguir as ordens.
• Colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully.
• Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência.
• Isolamento social da vítima.
• Usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas sobre a vítima em sites de relacionamento, de publicação de fotos etc).
• Chantagem.
• Expressões ameaçadoras.
• Grafitagem depreciativa.
• Usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para alguém de fora) enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com freqüência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma "vítima perfeita").
• Fazer que a vítima passe vergonha na frente de varias pessoas

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Bullying nas Empresas: O que é? Como resolver?

Pela segunda vez neste mês, eles se reuniam para criar um novo trote.
Há mais de 8 anos que o grupo criava trotes cada vez que entrava um novo colaborador na empresa.
Danilo foi contratado como estagiário no setor financeiro.
Logo que chegou à empresa para o seu primeiro dia de trabalho, seus colegas avisaram que o elevador estava com problemas e eles teriam que subir até o 15º andar para a reunião mensal com o diretor geral.
Danilo estava com quase 100 kg e subir pela escada foi um verdadeiro sacrifício. Quando finalmente chegou ao andar da reunião, todos já estavam lá e dando risadas em vê-lo todo suado e ofegante. Ele ficou muito constrangido ao perceber que era um trote e depois disso, não conseguia se integrar à equipe. Mostrou-se bem irritado e isto só piorou a relação.
Seus colegas, o chamavam de “marcha lenta”, “molha camisa”, “tico e teco letárgico” e “massa mole”.

Esta história demonstra como pode acontecer o bullying nas empresas. Outros casos que podemos mencionar são de perseguições às pessoas: com comportamento diferente, de raça diferente, com opinião diferente, aquelas que estão mais próximas à chefia, entre outras.

O bullying na empresa se caracteriza por pessoas que utilizam a força grupal ou de apenas um indivíduo (bully) que intimida e/ou provoca danos morais e psicológicos, intencionais e repetidos a uma ou mais pessoas, que se encontra em situação de incapacidade de defesa.

Como resolver esta questão?

A premissa básica é observar se isto acontece e em que ocasiões. Tratar o assunto abertamente e nunca incentivar o grupo. Outra maneira é tratar o assunto através de palestras e workshops para toda a equipe.

Este é um assunto delicado, e se não tomarmos cuidado, poderemos perder ótimos profissionais e repentinamente perceber que o clima da empresa está se tornando insustentável por ações de um determinado grupo ou mesmo de um indivíduo.

Abra seus olhos para o bullying empresarial, ele pode estar acontecendo ao seu lado sem que você se de conta dos danos que estão acontecendo à você, ou a sua empresa.

Fonte: webartigos.com

terça-feira, 13 de julho de 2010

A idade de ser feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.
Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.
Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.
Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.
Autor: Mário Quintana

Tudo é maneira de ver... (Fernando Pessoa)



Onde você vê um obstáculo,
alguém vê o término da viagem
e o outro vê uma chance de crescer.

Onde você vê um motivo pra se irritar,
alguém vê a tragédia total
e o outro vê uma prova para sua paciência.

Onde você vê a morte,
alguém vê o fim
e o outro vê o começo de uma nova etapa...

Onde você vê a fortuna,
alguém vê a riqueza material
e o outro pode encontrar por trás de tudo,
a dor e a miséria total.

Onde você vê a teimosia,
alguém vê a ignorância,
um outro compreende as limitações do companheiro, percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo
e que é inútil querer apressar o passo do outro,
a não ser que ele deseje isso.

Cada qual vê o quer,
pode ou consegue enxergar.
Porque eu sou do tamanho do que vejo
e não do tamanho da minha altura.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

ÉTICA PROFISSIONAL É COMPROMISSO SOCIAL

Ética é um conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na sociedade em que vive, garantindo, o bem-estar social, ou seja, Ética é a forma que o homem deve se comportar no seu meio social. Moral e ética são conceitos habitualmente empregados como sinônimos. A Moral estabelece regras que são assumidas pela pessoa, como uma forma de garantir o seu bem-viver. O Direito busca estabelecer regras para que a sociedade viva em harmonia, cria leis para que a sociedade se organize e respeite o espaço um do outro, é geralmente delimitado pelas fronteiras do Estado. A Moral e o Direito, apesar de referirem-se a uma mesma sociedade, podem ter perspectivas discordantes, isso ocorre quando há uma desobediência civil. A Ética em si refere- se ao que é bom ou mau, correto ou incorreto, justo ou injusto. Por que nem sempre o que é bom para mim, é bom para o outro.
Quando optamos por uma profissão fazemos um juramento, que significa o comprometimento com a Ética Profissional, é a concordância voluntária a um conjunto de regras estabelecidas como sendo as mais adequadas para o seu exercício. É de extrema importância ter em mente que há uma série de atitudes que não estão descritas nos códigos de todas as profissões, mas que são comuns a todas as atividades que uma pessoa pode exercer como a generosidade, cooperação, não fazer somente o que lhe é imposto, mas buscar ir sempre além e um constante aprendizado e melhora. Independente da profissão que optamos por seguir é necessário estar sempre aberto e receptivo, além de tentar ser melhor a cada dia. Quando adquirimos essa consciência, contribuímos para a empregabilidade: a capacidade que você pode ter de ser um profissional que qualquer patrão gostaria de ter entre seus empregados, um efetivo colaborador. Isto é ser um profissional eticamente bom, os princípios éticos e morais são na verdade os pilares da construção de um profissional que representa o Direito Justo, distinguindo-se por seu talento e principalmente por sua moral. A ética profissional deve ser desempenhada com o máximo rigor, adotando-a antes mesmo de qualquer outro código, pois a moral juntamente com a ética deve ser cultivada para crescimento profissional e da instituição. Portanto, Moral é um conjunto de normas que regulam o comportamento do homem em sociedade, e estas normas são adquiridas pela educação, pela tradição e pelo cotidiano, a Moral tem caráter obrigatório. Todo ser humano possui a consciência Moral que o leva a distinguir o bem do mal no contexto em que vive. A Ética e a Moral si completam, pois na ação humana, o conhecer e o agir são inseparáveis. Enfim, Ética e Moral são os maiores valores do homem, deste modo, se formam numa mesma realidade.
Muitas vezes não é fácil ser Ético perante a sociedade, ela tenta nos “corromper”, busca recompensar nossos anseios materiais em troca de “favores”. No entanto como o próprio nome diz, vivemos em comunidade, e devemos buscar o bem comum a todos.
Podemos concluir que a ética disciplina o comportamento do homem, estabelece deveres para realização de valores, impõe normas consideradas obrigatórias pela sociedade. Este conjunto de normas morais deve orientar a conduta do indivíduo no ofício ou na profissão que ele escolhe para exercer. Assim, torna-se necessário mencionar que seja um profissional participante de uma atividade voluntária ou não, é necessário agir com o mesmo comprometimento que teria no mesmo exercício profissional se este fosse remunerado. Se a atividade é voluntária, foi sua opção realizá-la. Então, é eticamente adequado que a realize da mesma forma como faz tudo que é importante em sua vida, pois ser Ético é ser social.

Vanessa Morais

Santiago se prepara para o 18º Enespref

As equipes esportivas formadas por funcionários da Prefeitura de Santiago já estão treinando para participar do 18º Encontro Esportivo Entre Prefeituras, o Enespref, que vai acontecer no mês de novembro em Caçapava do Sul. Será de 11 a 14 de novembro na cidade de Caçapava do Sul. O município de Santiago deverá participar com atletas nas seguintes modalidades: bocha masculina e feminina, volei masculino e feminino, futebol, futsal, cartas, corridas, cabo de guerra e bolão. Haverá ainda a escolha da Rainha do Enespref, sendo que as candidatas devem ter a partir de 15 anos (podem ser funcionárias ou filhas de funcionários da prefeitura). Inscrições e informações com Clara Trentin, na Central Telefônica, pelo fone 55-3251-2844.

Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Santiago

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Reunião na Câmara de Vereadores sobre Cálculo Atuarial.

Na manhã desta sexta-feira, 09 de julho, participamos na Câmara de Vereadores de uma importante reunião para apresentação do Cálculo Atuarial, realizado pelo Sr. Darci Reali - Diretor do IEM - Instituto de Estudos Municipais que realiza o cálculo atuarial do Regime Próprio de Previdência - FAPS dos servidores públicos municipais.

O Cálculo atuarial (também conhecido como avaliação atuarial) é o cálculo que a Prefeitura realiza para descobrir quanto deverá gastar com os encargos previdenciários de seus servidores.
O cálculo atuarial toma por base a análise dos dados dos servidores efetivos e concursados, além dos inativos e pensionistas. A partir da análise dessas informações, seguindo as regras estabelecidas pela Lei 9.717/98 e outras normas legais, é que se saberá a quantidade de recursos necessários para manter o sistema previdenciário, o que inclui o pagamento de benefícios e encargos.
Um dos desafios mais relevantes em previdência complementar consiste na determinação dos fluxos de caixa das contribuições a receber de todos os participantes e dos benefícios a pagar para todos os beneficiários. Para a obtenção de previsões atuariais adequadas, deve-se levar em consideração um conjunto de características individuais de cada participante: sua idade, seu número de dependentes, seu salário, dentre outras. Através desses parâmetros, é possível estimar por quanto tempo este indivíduo permanecerá contribuindo para o plano (e com que montante), quando se aposentará, quando falecerá (situação que, em alguns planos, implica em pagamento de pensão aos seus dependentes), e por quanto tempo seus dependentes receberão pensão.

A reunião foi de suma importância, pois nos colocou a par , do quanto a Prefeitura investirá nos próximos anos no FAPS e o valor máximo que cada servidor poderá contribuir.

Servidores Participantes Sistema - 1.171
Servidores Ativos - Quadro Geral - 615
Servidores Ativos - Professores - 319
Inativos - 201
Pensionistas - 51
Pensionistas Temporários - 04
Servidores Homens - 337
Servidores Mulheres - 593
Idade média Servidores Ativos - 42 anos
Idade média Inativos - 66anos

quinta-feira, 8 de julho de 2010

LIVRE-SE DAS ESCAMAS, EXPERIMENTE O NOVO, BRILHE!

Em geral as pessoas nascem e crescem seguindo o mesmo curso das vidas que lhes rodeiam. Inserem-se em dois tipos de pessoas.

As boazinhas que fazem o bem a todo mundo, cheias de generosidades e afeto e as ruins que não estão ligadas a nada e a ninguém.

Ao longo da vida convivemos com situações onde a máxima é de que o mundo pertence aos mais fortes. Esta fortaleza está relacionada a uma pessoa fria, calculista, que passa por cima de tudo e de todos sem que esteja preocupada com coisa alguma em relação ao próximo.

Dificilmente se ouve falar que tais pessoas perderam.

Por outro lado ouvimos dizer que a corda sempre quebra do lado mais fraco. Isto nos leva imediatamente a visualização daqueles seres humildes e bondosos que nasceram para servir e perder.

Em ambos os casos esta colocação parece certa, mas avaliemos o seguinte : estamos vivendo um instante onde virtudes e qualidades ocupam um lugar de grande destaque e que para brilhar é necessário que haja uma tomada diferenciada em relação à mesmice na qual temos vivido até hoje.

O perfeito seria buscar o equilíbrio entre as duas extremidades. É tempo de ser bem sucedido em todas as áreas da vida, sem ferir a ternura existente dentro de nós e sem abrir mão da intrepidez e coragem em relação à vida.

Aprendi ao longo da história que precisamos de pilares fortes que tornarão o viver extremamente solidificado. São:

•Honestidade
•Coragem
•Honra
•Responsabilidade
•Coragem
•Visão
•Contribuição
•Confiança
•Foco

Sem tais valores será impossível desenvolver alguma coisa ou tomar qualquer atitude digna de admiração.

Estas escolhas deverão estar alicerçadas em algo muito forte denominado nobreza de caráter. Isto descarta a soberba, inveja, inaptidão, ciúme e tantas outras qualidades negativas e repulsivas em um ser humano.

Ouse em todas as áreas de sua vida e se comprometa em cumprir tudo que promete ou se propõe fazer. Pessoas de sucesso são diferentes pela maneira simples de ser, não pela arrogância permeada de um orgulho sem sentido.

“Ser” é absolutamente maior do que “ter”.

Na correnteza da vida, não pare entre os cascalhos inoperantes buscando oportunidades de conveniência. Siga sendo uma referência pelo modo ímpar de passar aos outros toda a solidez própria dos sábios.

Os tolos agem como se estivessem enganando o mundo, construindo inverdades em torno de si mesmos, criando uma nuvem de desculpas para suportar a vergonha de não poder se ouvir quando está sozinho. O sábio, porém, sai da sua sala interna e faz o que sabe de melhor: passa a outros a significação da beleza essencial da vida, que se resume na sabedoria de multiplicar confiança própria, catalisando esperança. Experimentar o novo é brilhar entre as estrelas.

SOLANGE LINS

quarta-feira, 7 de julho de 2010

terça-feira, 6 de julho de 2010

O Estado Brasileiro

A palavra Estado, na linguagem corriqueira, na Constituição e nas leis, indica as unidades federadas, e no Brasil, como Estado Federal, é denominada União.
O Estado pode ser conceituado como "a ordem jurídica soberana que tem por fim o bem comum de um povo situado em determinado território". Pode ser entendido como uma nação: o Estado Brasileiro. É uma organização política administrativa que tem ação soberana, ocupa um território, é dirigido por um governo próprio e se institui pessoa jurídica de direito público internacionalmente reconhecida.
Nessa linha de pesquisa, território é o limite dentro do qual o Estado exerce o seu domínio soberano sobre pessoas e bens e compreende a extensão circunscrita pelas fronteiras, as águas territoriais, o ar e o subsolo correspondentes. O Governo Soberano é o componente que conduz o Estado, que detém e exerce o poder absoluto emanado do povo. O povo é o componente humano, submetido juridicamente ao Estado.
Gestão Pública é o Estado em ação, mobilizando diversos recursos a favor da coletividade. A Constituição Federal de 1988 estabeleceu diversos princípios que devem nortear a Administração Pública. O artigo 37 estabelece que a Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
Quanto à legalidade, ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. No item impessoalidade, todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. Todo ato administrativo será determinado para atender aos interesses sociais e não vinculará à conveniência de qualquer pessoa. Em relação à moralidade, todos são submetidos à obediência aos princípios morais e éticos. Na esfera da publicidade, todos têm direito ao acesso às informações disponíveis na administração pública, ou a ela entregues, pois públicos devem ser os seus atos. Quanto à eficiência, esse princípio significa a busca de qualidade e produtividade, de resultado, nas deliberações e procedimentos da Administração. Exige da Administração Pública, de seus órgãos e agentes, a efetivação das tarefas com máxima rapidez e prontidão, com a qualidade perfeita e de forma eficiente e eficaz no atendimento à população.
Na Organização Político – Administrativa do Brasil, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios são caracterizados como entidades autônomas, ficando a União com a função de exercer a soberania do Estado Brasileiro no contexto internacional.
A ética na esfera da gestão pública, caracteriza-se pela interligação profunda, entre o Estado e a sociedade, especialmente, quanto ao exercício da cidadania. E, necessariamente acontece se houver uma transformação fundamental na cultura da própria sociedade e, mais nomeadamente, na cultura pública. Para o exercício da ética no trato público, é de fundamental importância respeitar e exercitar os princípios da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade e Eficiência, consubstanciados na nossa Constituição Federal e, que amparam a boa Gestão Pública. Ainda na esfera do trato público, há necessidade de atenção à finalidade pública da atuação, o respeito ao cidadão e aos usuários do serviço público. A satisfação dos interesses da população e a realização das necessidades sociais são os fundamentos de toda atividade administrativa.
A crise ética que enfrentamos atualmente exige da família, dos educadores e de toda sociedade o investimento na formação de jovens que tragam enraizados dentro de si valores e princípios éticos. Só atingiremos este estágio quando a riqueza for mais bem compartilhada, o que implica na democratização do conhecimento e da informação.

Ref: Felipe Vieira de Souza

Por Amélia Hamze
Profª FEB/CETEC
ISEB/FISO-Barretos
Colunista Brasil Escola

COMPROMISSO COM A CONSCIÊNCIA

Você certamente já leu ou ouviu, algum dia, a notícia de roubo, incêndio, naufrágio ou explosão de algum bem móvel ou imóvel que pertencia a alguém, não é mesmo?

No entanto, ninguém jamais ouviu ou leu uma manchete com os dizeres:

“Foi roubada a coragem desta ou daquela pessoa”, “Foi extraviada grande porção de otimismo.Quem a encontrar favor devolver no endereço citado”.

Ou então, “Incêndio consumiu toda a fidelidade de fulano” ou “Naufragou a honestidade de beltrano.”

Enfim, nunca se ouve falar que as virtudes de alguém tenham sofrido assaltos ou outro dano qualquer.

Todavia, isso acontece diariamente quando as negociatas indignas põem por terra a honestidade e a honradez deste ou daquele cidadão, que sucumbe ante grandes quantias em dinheiro ou favorecimentos de toda ordem.

No entanto, as virtudes que se deixam arrastar por interesses próprios, não são virtudes efetivas, são ensaios de virtudes.

Quem verdadeiramente conquista uma virtude, jamais a perde.

Contou-nos um amigo, jovem advogado que trabalha num órgão público que, em certa ocasião, estava com uma pilha de processos sobre a mesa, quando seu superior entrou na sala, tomou dois daqueles processos e pôs de lado, dizendo-lhe:

“Quero que você arquive estes processos.”

O advogado perguntou por que razão deveria arquivá-los, e o diretor respondeu simplesmente: “Porque os acusados são meus amigos e me pediram esse favor”.

O moço, que tinha compromisso sério com a própria consciência, fez com que os processos seguissem seu curso, sem interferir.

Tempos depois, os acusados tiveram que arcar com as custas do processo e indenizar vários cidadãos, aos quais haviam prejudicado de alguma forma.

Quando questionado por seu superior sobre o ocorrido, o advogado argumentou que o fato de os acusados serem seus amigos, não era suficiente para isentá-los da responsabilidade de seus atos.

Se o jovem advogado não tivesse firmeza de caráter, poderia ter dado ocasião a que fosse registrado em sua ficha espiritual a seguinte anotação:

“Este Espírito sofreu, em tal data, um assalto da corrupção e da prepotência e teve seus bens mais preciosos, que são a fidelidade e a honestidade, roubados.”

Felizmente isso não aconteceu.

Humberto de Campos

...............

Toda vez que permitimos que nosso patrimônio ético-moral seja comprado ou roubado, ficamos mais pobres espiritualmente.

Quando aplaudimos a corrupção e a ganância dos outros, somos coniventes com essas misérias morais, e empobrecemos.

Pense nisso, e considere que vale a pena preservar esse bem tão valioso que é o seu patrimônio moral.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Festa Junina!

Ontem, aconteceu a Festa Junina do Sindicato!

Foi um sucesso, e contou com a participação da comunidade em geral e colegas de Prefeitura.

Em breve estaremos realizando novas promoções!

À todos os que auxiliaram na realização do evento, muuito obrigado. Contamos sempre com vocês!!!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Crônica de um brasileiro desesperado.

O carteiro e o papelão...

Fui carteiro por muitos anos, conheço cada palmo de chão desta cidade, um dia caminhei por ruas satisfeito entregando correspondências de casa em casa.. Gritava ele..
Não, não é um maluco que vos fala ...Eiiiiii senhor!!! Porque me olha com desprezo . Apontou para um homem que passava. Logo aquele homem parou...
Então ele continuou... De repente veio a greve. Aderi junto com meus companheiros, fui mandado embora.. Não chame a policia, sou apenas um velho cidadão gritando a plenos pulmões em prol de direitos, bom eu achei que tinha... Um belo dia acordei sem eles, ironia do destino. pronto estava sozinho, hoje sem sapatos casa ou carinho. Meu senhor com jeito de doutor até a mulher me largou.
Venho até aqui pedir moedas para continuar a viver no meu papelão, amigo e total companheiro. Não acredita? Eu me chamo João da Silva. Um dia escrevi uma carta pro ministro das comunicações, sei lá, deve ter ido almoçar de barriga cheia não se liga pro problema de quem anseia.. Não dê risadas muitos companheiros desistiram até de viver, sabe eu não vou morrer, você sabe por quê? O papelão me aquece, Deus me protege, a esperança é meu lar.
Dê-me uma moeda meu senhor o dia já vai passar não sei se notou, mas a comida não pode faltar. Isso... continua a me ignorar, amanhã é você que pode estar no meu lugar...
Gritou e gritou e o dia passou, com o dia passaram milhares de pessoas. Essa é a crônica de vários Joãos que um dia se perderam nas ruas e grandes centros...

CLEITON OLIVEIRA


Eis dois exemplos de vida para nós: Lutarmos com afinco, procurando fazer o melhor, dando o máximo de nós para obtermos êxito em tudo que fizermos, ou ficarmos na platéia vendo a vida passar como num espetáculo? Qual será a nossa decisão? Só depende de nós! Escolhamos lutar, mesmo que isso nos custe a vida... Então morreremos felizes, pois teremos lutado pelos nossos sonhos, por aquilo que acreditamos.
Não espere envelhecer pra descobrir que você poderia ter feito tantas coisas e não fez, e sentir-se frustrado ( a ). Agarre as oportunidades que a vida está lhe dando, viva-as da melhor forma possível; deixe teus sonhos fluírem. Sonhe, sonhe sempre, sonhe grande...

“O tempo é o ponto de vista dos relógios”... Mas essa sensação de “urgentismo”, de nunca se conter com o já realizado, isso faz parte da natureza do ser humano.

Nossas vidas são uma eterna busca insatisfeita de propósitos, especialmente nos nossos dias, quando os valores estão totalmente voltados para o “ter”: Buscamos possuir bens de consumo numa escala progressiva em relação a seus valores; começamos quando crianças, sonhando em ter uma bicicleta... e quando a temos, e crescemos um pouco, passamos a querer uma mobilete... Depois uma moto, depois um carro, depois um iate, depois um avião e quiçá uma nave espacial, para alçar vôos mais longos...
Não, creio que o ser humano já evoluiu o bastante para acreditar no coletivo sim, mas não esquecendo que nossos objetivos, nossos sonhos são como “molas propulsoras” que nos fazem viver efetivamente. Aqueles que não sonham ou não tentam realizar seus sonhos, vivem pela metade. E viver pela metade é não viver; por conseguinte, é desperdiçar o tão precioso tempo.